segunda-feira, 20 de junho de 2016

A noite em que o Thiagão mandou bem com um Villa Corullon 2007, de Álvaro Palácios!

Vou começar o post sobre esta noite da confraria com o vinho que chegou por último, pois o nosso amigo Thiagão chegou um pouquinho atrasado. Assim, se vinho foi fotografado em separado. Mas foi até bom, pois ele se destacou frente aos demais. Não por que os outros não estivessem muito bons, mas este Villa Corullón 2007 estava uma beleza e roubou a noite. O vinho elaborado pelo craque Álvaro Palácios, na região de Bierzo, obviamente com a casta Mencía, estava com uma elegância ímpar. Os aromas saltavam da taça e iam se modificando durante a noite. Frutas silvestres, confeitadas, especiarias e um toque leve de tabaco bem fino. Lembrava aromas de um Chateauneuf jovem, daqueles com estilo mais moderno, frutado... Em boca era tudo de bom: Fruta na medida, bela acidez e taninos redondos. O final de boca era longuíssimo, com notas especiadas e de chocolate amargo. Uma delícia de vinho! Matou a pau, Thiagão!
Descreverei os outros na sequência da foto abaixo.

O primeiro, garrafona preta, imponente, era um Farnese OPI Riserva Montepulciano d'Abruzzo 2008, levado pelo Caião. Vinho  escurão, denso, aromático, com notas de frutas madura, azeitona preta, chocolate, alcaçuz e tabaco. Em boca era encorpado, carnudo, com acidez equilibrando o dulçor da fruta madura extraída. O final era longo e com notas de tabaco e couro. Vinho perfeito para uma massa com molho vermelho. Italianão na veia! Muito bom também!
O segundo da foto acima é um Tapanappa Whalebone Vineyard Cabernet-Shiraz 2005 da vinícola australiana Tapanappa, criada em 2002 a partir de uma associação do enólogo Brian Croser (ex-Petaluma) com a Champagne Bollinger e o Chateau Linch Bages (Jean-Michel Cazes). Ou seja, como mencionado no próprio site da Mistral, tem que se esperar coisa boa. E é! O vinho é um corte de Cabernet Sauvignon (65%), Shiraz (25%) e Cabernet Franc (10%), com maturação por 20 meses em barricas frances 70% novas. Nada de muita extração e geléia aqui! Vinho muito refinado, com notas de cassis e amoras, em meio a chocolate ao leite e leve apimentado. Em boca mostrava grande elegância, com taninos muito macios e um fundo lácteo evidente. Vinho excelente, muito macio e elegante. Ganhou 93 pontinhos da WS. Estou curioso para beber o Chardonnay deles, que dizem ser também excelente.
O penúltimo na foto, um Quinta da Touriga-Chã 2007, foi levado por este que vos escreve. O vinho é um duriense potente, encorpadão, do produtor Jorge Rosas. É feito com Touriga Nacional e Tinta Roriz, e a produção é pequena, de apenas 2.700 garrafas. Sua cor é escura, densa, e os aromas são profundos, de amora madura, cereja preta, kirsch, alcaçuz e fumo. Em boca é intenso, rico, levemente lácteo, com notas especiadas e final com chocolate amargo e alcaçuz. Um duriense nervoso, concentrado e ainda cheio de vida. A Revista de Vinhos de Portugal lhe tascou 18 pontos em 20. Vinhão que casou muito bem com cordeiro.
E para finalizar a noite, o vinho levado pelo nosso amigo Paulinho: Ponte Canas 2010, da Herdade do Mouchão. Este tem pedigree e agradou bastante. O vinho é feito com Alicante Bouschet, Syrah, Touriga Nacional e Touriga Franca. Ao nariz mostra fruta madura em meio a especiarias, cacau, baunilha e notas herbáceas. Em boca é muito macio e com boa acidez, que lhe dá frescor. O final é longo, levemente abaunilhado e com notas de cacau. Muito bom vinho, como era de se esperar do produtor.
Noite excelente na confraria! Não teve um vinho que não tenha agradado, e muito. Assim que é bão! Abaixo, o Thiagão celebrando a ponta...rs.
Thiagão celebrando o vinhão!


5 comentários:

  1. Caríssimo Flávio, andou atualizando mesmo as postagens, o Brunello que postou, comprei-o há um ano atrás no OBA aqui em Brasília por módicos 89 Temer's(interino), obviamente estava errado, no dia seguinte corrigiram o preço, mas aí eu já havia comprado todas as garrafas que estavam a venda. Sobre mencia, gostas de Alvaro Palacios? Também gosto, mas mencia é Tilenus essa vinícula faz pra mim os melhores da Espanha. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, Hélio! Pagou 89 interinos no Castiglion del Bosco? Era o 2010? Bem, independente do ano, você ganhou um presentão...rs. Custou 1/5 do preço.
      Quanto à Mencia, eu adoro, ainda mais aqueles vinhos do Álvaro Palácios. Eu não conheço o Tilenus, mas vi que é feito pelo Raúl Pérez, né? Já bebi outros dele (Ultreia e Castro de Valtuille), que gostei muito. Onde se encontra o Tilenus?
      Abração,
      Flavio

      Excluir
  2. Pertencem a importadora Del maipo, na loja on line da brilho vc encontra, o tilenus crianza eh espetacular dah uma surra no pétalos de bierso do palácios e custa bem menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Hélio! Tentarei encontrar!
      Abs,
      Flavio

      Excluir
  3. http://www.brilhoimportados.com.br/search/?q=tilenus
    Não estão com o crianza no momento, eles têm esse Clan da uva tinto picudo que eh sensacional tb. Grande abraço!

    ResponderExcluir